terça-feira, 26 de julho de 2011

ERRAMOS POR AMAR DEMAIS NOSSOS FILHOS

  Assisti  na TV uma propaganda que aparecia um bebê nos braços do pai e dizia mais ou menos assim -  "Chega um estranho em sua casa, toma conta dos espaços, rouba suas horas tranquilas de sono e descanso, se torna o centro das atenções, se apossa de sua mulher e você ainda é louco por ele." 
     Quem explica este amor ?
   Quando os filhos nascem, não conseguimos vê-los já crescidos, desobedecendo e agindo diferentemente daquilo que ensinamos.
   E quando conseguem ficar em pé, começa a “pôr as manguinhas de fora”, se achando independentes e auto-suficientes.
   É nesta fase que começamos a cometer algumas falhas que vamos ver as conseqüências quando os filhos crescem. São os “nãos” que deixamos de dizer, as ameaças que não cumprimos, as desobediências que fizemos vista grossa e deixamos passar.         Não que tenhamos que ser perfeitos, até porque não existem pais perfeitos, mas porque amamos tanto a ponto de perdoar demais e relevar as suas falhas vendo-os como pequenos demais para reprimi-los, até nos tornarmos omissos.
    Sofremos muito com as conseqüências, mas não podemos perder as esperanças e a fé de que este quadro pode ser revertido.
    Gosto de um versículo bíblico, dentre muitos outros onde diz: 


 “Ensina a criança no caminho em que deve andar, e quando for velho não se desviará dele.” 
   (Provérbios 22:6) .
  
   As crianças não sabem instintivamente o que é certo ou errado, elas têm que ser ensinadas.    
  Nosso mundo confuso oferece opções danosas para o futuro delas. Lembre-se; a correção molda o caráter, não deixe de corrigi-los com firmeza desde pequenos. As crianças precisam entender que queremos o bem delas, que ficamos tristes com seu comportamento e isso não é bom para sua vida futura.
  Vamos ser firmes mesmo amando demais nossos filhos e um dia eles irão entender tudo isso.
   Até a próxima semana!       

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *